Até esta quarta-feira (30), nenhum dos suspeitos havia sido preso. Caso aconteceu no domingo (27), mas boletim de ocorrência só foi registrado pela empresa responsável pela obra na terça (29). Empresa responsável por obra que foi alvo de roubo de fios de cobre procura a polícia
A 1ª Delegacia dos Barris investiga o caso do furto de fios de cobre subterrâneos no bairro do Santo Antônio Além do Carmo, em Salvador, no domingo (27). Até esta quarta-feira (30), nenhum dos suspeitos havia sido preso.
O boletim de ocorrência só foi registrado pela empresa responsável pela obra na terça-feira (29), mais de 48 horas depois do roubo. Os fios de cobre foram roubados por um grupo com fardas de operário, que aproveitou que a Rua Direita do Santo Antônio, que é a principal do bairro.
Os suspeitos chegaram a usar maquinário pesado, com retroescavadeira e caminhão, para retirar a fiação, que estava a 60 cm de profundidade. O material de cobre era usado para ligação de eletricidade, mas estava desativado no momento do roubo.
Como o caso aconteceu em um domingo, e a população estranhou a situação porque as obras só funcionam de segunda a sábado.
No entanto, os supostos operários chegaram no local com máquinas pesadas e, com isso, os moradores não desconfiaram rapidamente de que se tratava de um roubo. Ainda de acordo com os moradores, a obra no local tem mais de seis meses.
Na terça-feira (29), a empresa Pejota Construções, responsável pela execução das obras de pavimentação e requalificação das vias na região do Santo Antônio Além do Carmo, disse que disponibiliza a vigilância para os materiais e equipamentos existentes no canteiro de obras da empresa.
A construtora disse que que não tem qualquer relação com os fatos noticiados e nem mesmo o encargo de realizar o patrulhamento nas ruas, e reforçou que realiza os serviços no horário comercial, de segunda a sábado.
‘Coisa de filme’
Com farda de operário e retroescavadeira, grupo invade obra e rouba fios de cobre
Reprodução/TV Bahia
Um dos moradores, identificado apenas como Rogério, contou que o grupo disse que iria fazer um procedimento para acelerar a obra e chegou a pedir para que os moradores retirassem os carros da rua, para que eles pudessem fazer a escavação.
“Eles chegaram com uma retroescavadeira, com todo o aparato, com um caminhão, vários operários uniformizados. Pediram que os moradores tirassem os carros, e começaram a cavar. A gente achou que fosse alguma coisa ligada à obra. Não tinha como desconfiar. Tinha vários operários, começaram a cavar e levaram um monte de cabo”, conta Rogério.
O morador disse ainda que durante a escavação, os suspeitos chegaram a danificar a tubulação de água, e o bairro ficou com o abastecimento temporariamente suspenso.
“Eles furaram aleatoriamente e danificou a rede de água. Faltou água inclusive. Furaram os tubos, foi um vazamento de água enorme. Depois, a Embasa [Empresa Baiana de Águas e Saneamento S.A] teve que vir para corrigir. Eles fecharam a rua com um caminhão e mais uns dois ou três operários.
Quando os moradores passaram a desconfiar que havia algo de errado com os supostos operários, eles passaram a filmar e fotografar a ação. Depois de escavar e roubar os fios, os homens guardaram os equipamentos, liberaram a rua, recolheram os fios e foram embora.
“Aqui é uma área tranquila. Deixou todo mundo assim [surpreso]. Parecia coisa de filme. Só depois rolou o ‘zunzunzum’ da vizinhança de que era assalto. Chamaram a polícia, mas se a polícia veio, eu não vi”, disse ainda Rogério.
Veja mais notícias do estado no G1 Bahia.
Assista ao Jornal da Manhã