A Alemanha registrou, nas últimas 24 horas, mais 23.648 casos, um valor que aumenta o total acumulado de infectados no país para 879.564.

Segundo os dados do Instituto Robert Koch, há a registrar, também, mais 260 vítimas mortais desde ontem. O país germânico contabiliza, assim, um 13.630 mortes desde o início da pandemia.

O número de novas infecções vem assim estabelecer um novo máximo de infecções diárias, desde que na passada sexta-feira foi atingido um pico de casos diários (23.542).

Cerca de 570.100 mil já superaram a doença e o número de casos ativos ronda os 286,8 mil, estima o RKI.

Em todo o país, a incidência cumulativa em sete dias é de 139,0 casos por 100.000 habitantes.

O fator de reprodução (R) que considera as infecções num intervalo de sete dias em relação aos sete anteriores, e que reflete a evolução das infecções de 8 a 16 dias atrás, está localizado em 0,99.

O número de pacientes em unidades de terapia intensiva na quinta-feira subiu para 3.588, dos quais 2.084 – 57% – recebem ventilação assistida, segundo dados da Associação Interdisciplinar Alemã de Terapia Intensiva e Medicina de Emergência (DIVI).

Atualmente, estão ocupadas 21.934 camas nos cuidados intensivos.

A 2 de novembro, entrou em vigor um novo confinamento parcial no país para tentar conter a pandemia de Covid-19. Bares e restaurantes, teatros, cinemas, museus e “spas” permanecem fechados, enquanto as lojas e escolas permanecem abertas. O turismo é proibido, o teletrabalho é recomendado e os contatos são limitados a no máximo 10 pessoas de até dois domicílios.